segunda-feira, 9 de abril de 2007

3x4

Eu,inundada de tantas emoções e paixões violentas,
A essa altura da vida,ainda não sei quem sou
Decifrar-me é um quase pecado
Pecado de não saber
Não,eu não sou múltipla,
E te garanto: sou poucas.
Sou vírgulas,portas entreabertas,
Rastros de saudade, raios “x” defeituosos.
Talvez ainda nem seja a hora de descobrir,
Pouco me importa.
Afinal tenho ao meu favor
Todos os paradoxos que me compoem

Um comentário:

Jade disse...

a gente tem tudo e não é nada.
e não tem nada e é tudo.

ô, dificuldade.



(quanto ao blog... nem preciso dizer o quanto eu acho que vc escreve bem, né? ;))

te amo!